O poder do cacau

O poder do cacau

Não é comum, consumirmos um alimento que normalmente, associamos ao prazer, e que ao mesmo tempo possui inúmeros benefícios para a saúde. Ouro sobre Azul. O cacau é esse alimento! No entanto é preciso saber um pouco mais sobre o cacau, para tirarmos dele todos os magníficos benefícios que possui.

Originário das zonas tropicais América Central, e cujo nome tem origem maya, tem uma história longa. Os Astecas e os Mais utilizaram-no como bebida tónica e refrescante, à qual adicionavam especiarias, mas também como moeda de troca, pelo que era elemento de muito valor.

Inúmeros estudos têm sido feitos relacionando o cacau e benefícios de saúde, e sabe-se hoje, que o cacau cru, é dos alimentos mais saudáveis que podemos encontrar na natureza. Muito rico em polifenóis, substâncias que existem naturalmente nos vegetais e têm capacidade antioxidante, anti-inflamatória, anti trombótica, vasodilatadora, anti carcinogénica, analgésica, antibacteriana. No cacau, os polifenóis existentes em maior quantidade são os taninos e os flavonóides. O cacau contém a maior concentração de polifenóis que qualquer outro alimento. Estas concentrações tornam o cacau, um aliado da saúde por protegerem contra doenças como a diabetes, doenças cardiovasculares, doenças degenerativas, cancro, obesidade, hipertensão, aterosclerose e envelhecimento precoce. Para além do carácter antioxidante, possui nutrientes como magnésio, ferro, manganês, zinco, cobre, triptofano, tirosina, etc. O cacau tem características antidepressivas pela presença de compostos percursores de serotonina, responsável pelo bom humor, como o triptofano e a tirosina, e dos minerais zinco, magnésio, manganês. A presença de teobromina e tiramina, bem como a cafeína, favorecem a concentração. Possui também feniletilaminas (FEA), que são uma classe de compostos químicos produzidos no nosso corpo quando nos apaixonamos, produzindo sensação de bem-estar e felicidade e inibição do apetite, o que pode favorecer os processos de perda de peso. É usado na cosmética como hidratante e protetor celular.

Para que o cacau tenha todos estes benefícios é importante que esteja na sua forma mais natural, ou seja cru. O processamento do cacau para transformação em chocolates, elimina grande parte destas substâncias protetoras, para além de adicionar muito açúcar, gorduras e aditivos. O cacau mais puro é o mais rico e de preferência orgânico. Existem diferentes formas de consumir cacau cru, como as sementes inteiras, em pepitas, em pó ou a manteiga.

Grãos de cacau – os grãos de cacau são as sementes obtidas da vagem. São cacau puro, amargo, revestido de uma fina película. Podem ser comidos diretamente pelos verdadeiros amantes ou adicionar-se em saladas de fruta, mueslis ou batidos.

Pepitas – são obtidas dos grãos de cacau partidos e libertos da película que os reveste.   Podem adicionar-se em saladas de fruta, mueslis ou batidos.

Manteiga de cacau – obtida por extração mecânica a partir da pasta de grãos de cacau, é uma gordura saudável que pode ser usada para preparar chocolates, bombons ou sobremesas, ou ralada em saladas ou pratos diversos. Aplicada na pele ou lábios cria também um excelente efeito barreira, evitando os lábios gretados ou a pele irritada.

Em pó – é obtido dos grãos de cacau, pressionado por processo mecânico para separar o pó da manteiga. Pode ser usado em receitas de bolos, biscoitos, mousses, pudins, gelados ou misturado em bebidas.  Misturado com manteiga de cacau forma chocolate 100% cacau.

De referir que o consumo de leite com cacau, em pó, por exemplo, pode reduzir a biodisponibilidade dos polifenóis.

O cacau cru sofre normalmente algum processamento, importante para tornar o seu sabor mais agradável e melhorar a digestibilidade. A fermentação das sementes é essencial para se conseguir produtos de boa qualidade sensorial, como a diminuição do sabor amargo. Durante esta etapa, acontecem reações importantes para o desenvolvimento do sabor característico do chocolate. Pode ainda passar pela fase de secagem e posteriormente a prensagem mecânica para obtenção dos seus derivados.

(*)antiox

Tabela de alimentos com maior capacidade antioxidante.
Capacidade de absorção de radicais por uma determinada substância, chamado ORAC (Oxygen Radical Absorbance Capacity).

 

Cláudia Maranhoto

Publicado originalmente na Revista Zen Energy de Abril de  2015

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*